Educando pela arte: desenhos e ilustrações de um artista em diálogo com a educação.

         Fernando é um artista e arte-educador nascido em São Vicente, onde reside no momento. Licenciado em Letras e pós-graduando em Arte e Educação, iniciou a carreira no ensino público. Na busca por superar as dificuldades da sala de aula, encontrou na arte o elemento principal para construção de uma aprendizagem significativa e transformadora. As mudanças foram tamanhas que, ao passo que desenvolvia processos de criação artística com os alunos, foi motivado a entrar de cabeça na realização dos próprios projetos artísticos.

“Nas aulas, eu compartilhava com os alunos o ponto de vista de quê a arte é para todos. Eu os instigava argumentando que todos temos formas particulares de expressão, que cada pessoa poderia desenvolver um estilo pessoal, bastava fazer arte, experimentar arte, viver as possibilidades ímpares que o contato com a arte nos traz. Então um dia caiu a ficha de que eu não aplicava aquilo para mim, que eu não dava credibilidade a minha produção, por isso eu não me focava em desenvolver os meus processos criativos.” explica Fernando.

          Apesar da formação voltada para as artes da palavra, foi nas artes visuais que ele decidiu realizar sua produção. Nesse trajeto, surgiram os desenhos, pinturas e ilustrações que fazem parte do acervo que vem sendo criado há cerca de três anos.  Ele diz que o trabalho como docente tem uma forte influência nas obras, porque começou utilizando os materiais e as práticas de sala de aula nas próprias criações. Além disso, diz que o contato frequente com a produção dos alunos foi uma das grandes referências.

25552277_940285506148303_1756082264515946882_n
Arte feita com nanquim, giz de cera e colagem de objetos em papel canson 220g. Ilustração inspirada na metaformose. 

“O meu desenho é um exercício de investigação, eu fui construindo meu traço me provocando a desenhar constantemente, prestando atenção nos meus desenhos, nas soluções que eu encontrava intuitivamente enquanto explorava diferentes formas de desenhar, com materiais variados e também realizando os exercícios que eu propunha nas aulas.” acrescenta o artista.

       

25299018_936681069842080_1161455176425707957_n
arte feita com nanquim em folha adesiva

  O artista comenta que não segue a risca nenhuma técnica, optando geralmente por obras em técnica mista. Ele explica que o seu estilo reúne diversas referências, muitas ligadas ao interesse pessoal por arte contemporânea, principalmente gêneros da cultura pop como a arte de rua, Hq’s, animações   televisivas e cinematográficas. Ao falar sobre a comercialização do trabalho dele, ressalta que é uma prática muito recente, pois inicialmente só pensava em exposições. A partir do compartilhamento dos trabalhos nas redes sociais, recebeu um retorno que o fez pensar na possibilidade. Para essa edição do Coletivo, trará séries inéditas de prints de uma parte do acervo, além de obras originais selecionadas especialmente para o evento.

         Sobre a feira, o artista visual diz que é parte de um esforço necessário para a circulação da arte. Ele destaca que eventos do tipo podem gerar possibilidades valiosas de aprendizagem, de troca de olhares e referências, do estabelecimento de vínculos importantes para o crescimento dos artistas e demais trabalhadores independentes.

IMG_20171125_144148
Arte feita com caneta posca e tinta acrílica diluída em papel kraft 180g

“Eu acho que o meu trabalho tem muito a ver com o caráter do evento, tanto por levantar a bandeira do hand-made, oferecendo produtos com a marca autoral, quanto pelas características de alguns dos desenhos. Desde o princípio eu busquei alternativas aos materiais industrializados, por questões econômicas e pela possibilidade de produzir arte também como forma de buscar uma forma mais sustentável de existência.”

          Muitos desenhos utilizam papel reciclado como suporte, outros são feitos em papéis reutilizados, de sobras dos trabalhos na escola e recolhidos de gráficas e papelarias. Outros mesclam objetos e recortes de revistas ressignificados em trabalhos de colagem. Alguns são revestidos de molduras revitalizadas, encontradas durante as caminhadas que segundo o desenhista, fazem parte das práticas que envolvem o processo criativo.

          Quer conhecer melhor os trabalhos do Fê? É só aparecer em nossa próxima edição! Clique aqui no evento oficial para confirmar sua presença e já fique por dentro de tudo que vai rolar -> https://goo.gl/9KUk3r  

  • Quando? Sábado – 05 de maio das 14 às 21hrs
  • Onde? AABB – Av. Ana Costa, nº 442 – salão nobre / 3º andar – Gonzaga, Santos/SP
  • Entrada Gratuita! 

O COLETIVO_CAPA.png

 

 

Anúncios

Autor: O Coletivo

O Coletivo é um projeto focado no pequeno empreendedor, artesão e designer. Nosso intuito é divulgar artistas autorais, fomentar o movimento handmade e promover a economia criativa na Baixada Santista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s