Betinho Neto: um incansável sonhador, nosso designer e parceiro.

incansável
adjetivo de dois gêneros
  1. 1.
    que não se cansa; que nada é capaz de cansar.
    “orador i.”
  2. 2.
    que não descansa; ativo, laborioso, enérgico.
    “i. organizador”
          Incansável! Betinho Neto é leonino, puro amor, designer gráfico do Coletivo, nosso apoiador, parceiro do projeto, criador da Revista Sanatório Geral, produtor no Andança, está buscando a felicidade (seja ela onde for), é um ser humano sem igual, tem um coração maior do que ele mesmo e chegou aqui para contar pra gente um pouquinho do que pensa, sonha e faz dessa vida!
A. Cervantes Fotografia - Betinho 018
Fotografia por A. Cervantes
Quem é Betinho Neto?
“Betinho neto está em busca de ser uma pessoa boa. E boa é no sentido de ser bom para as pessoas. Eu sou um grande buscador da felicidade eu acho. Do bem estar, do amor. Achei que era tanta coisa antes… mas hoje eu sou isso!”
O que significa e qual propósito do Andança pra você?
“É resgatar a música nacional de qualquer tipo, de É o Tchan até Elis Regina para as pessoas do Brasil. Eu acho que as pessoas precisam conhecer mais o país em que elas moram, a mistura maravilhosa e cultural do país que elas moram, que é um mais ricos culturalmente do mundo, que tem de tudo, uma diversidade maravilhosa, mas que existe muito preconceito e tal. Mas existe uma galera que tá afim de quebrar esse preconceito e conhecer coisas novas e tem uma galera que tá a fim de testar coisas novas. O Andança musical com os shows foi muito significativo pra mim porque você tirou músicos que só tocam um certo tipo de música – e colocar eles para cantar coisas nada a ver com eles – eles toparam esse desafio e foram lá e fizeram shows incríveis, emocionantes, lindos e agora a gente tem uma coleção nova vindo para tornar as paredes das casas brasileiras… (pausa) eu acho que a gente esqueceu do orgulho de ser brasileiro, da arte brasileira – porque a arte do Brasil é motivo de orgulho, a gente tem as melhores cantoras do mundo. Reconhecidas mundialmente! Elis Regina, Elza Soares, Maria Bethânia, o timbre de voz, incríveis! Tem poetas incríveis como Chico Buarque, Milton Nascimento e agora a gente tem Anitta explodindo por aí, Pabllo Vittar… é tanta gente que merece orgulho! Porque são pessoas que merecem ser reverenciadas por alguma coisa. E eu acho que o Andança que reverenciar isso, O Brasil para o Brasil, não importa que seja um pouquinho para pouquinhas pessoas, mas o trabalho de formiguinha é importante e a gente esqueceu desse trabalho. Faz aos pouquinhos, resgate umas coisas.  A gente fez uma andança samba de mulheres que foi um resgato. A gente fez Clementina de Jesus e tinha gente que nunca tinha ouvido Clementina de Jesus, não sabia quem era Clementina de Jesus! A gente precisa proporcionar pro outro a chance de conhecer coisas maravilhosas.
É abrir não a porta, mas a janela, para deixar as pessoas voarem. Ninguém pode ser preso em nada. Todo conhecimento é de todo mundo. Eu acho que o Brasil e sua cultura tem um conhecimento tão amplo e tão incrível, começando com nossa língua, nossa forma de se comunicar e nossa forma de estabelecer conexões, que merecem ser divulgados para todas as pessoas desse país.”
IMG_1481
Inauguração da Coleção Andança no projeto Coletivo – edição de agosto – especial dia dos pais. Fotografia/divulgação: projeto O Coletivo
Sobre fazer da arte seu trabalho, o que isso significa pra você?
“Eu acho que meu trabalho não é arte. Ele é um grande combinado do que as pessoas me pedem. Eu só traduzo o que elas querem que eu faço para elas. Arte é o que eu faço pro Andança. Fora isso eu acho que é um combinado da gente. Mas eu quero citar uma pessoa que me deixou muito feliz e foi um dos melhores trabalhos que já fiz que é o Marcus di Bello – Sleep Mode, que o programa dele é apenas uma mosca e só. Só tem a mosca. Meu trabalho é traduzir o que as pessoas estão querendo falar numa imagem.”
 
O que é cultura pra você?
“Cultura é você, a música da sua língua, é o que você gosta, o que o seu país produz. É você comer baião de 2 e ficar meia feliz. Cultura é orgulho. Cultura é o que a gente é, de onde a gente veio, o que acalanta o coração.”
 
Qual seu maior sonho profissional?
“Meu maior sonho profissional é poder trabalhar com um projeto que tenha um fator social envolvido. Um exemplo disso é O Coletivo e o tema do dia dos pais. É sempre valorizar o pai que é qualquer pessoa, a mãe que é qualquer pessoa. Meu sonho profissional é poder coordenar uma equipe humanizada. Humanizar uma equipe. Ter um cliente humanizado, e tornar essa marca humanizada, e mostrar que é tão fácil cuidar de gente, vendendo miojo… (risos). Mas tenho medo disso hein, não sou expert! Mas, esse é meu maior sonho!”
A. Cervantes Fotografia - Betinho 024
Fotografia A. Cervantes

 

Se você pudesse doar um sentimento para as pessoas, o que doaria?
“Doaria paz, calor dentro do nosso coração. Doaria dois bracinhos dentro de cada um para abraçar nosso coraçãozinho e energia. Se eu pudesse, sabe, eu doaria para todos os amigos e todas as pessoas que eu amo, tudo meu. Porque todas as pessoas que estão na minha vida e que eu amo, merecem todo amor desse mundo. Então o que eu daria e tiraria de mim seria toda paz do mundo. Quando a gente está em paz, a gente consegue enxergar o mundo e ir para o caminho certo.”
 
Para você, o que é transformar?
“Transformar é abraçar. Abraço bem forte, sabe? Acho que quando você abraça uma pessoa bem forte você transforma essa pessoa.”
A gente pode abraçar de várias formas, com arte, pode abraçar com gesto, uma coisa, uma frase, um post no facebook, mas a maior transformação pra mim é você tomar alguém nos braços. Quando você toma essa pessoa nos seus braços, ela não será mais a mesma. Um abraço é a união de dois corações, que se distanciam e são outras pessoas. Acho que pra mim, isso é transformar.
 
Qual sua dica para um empreendedor realizar um sonho profissional?
“Para de ouvir que não vai dar certo, primeiro começa e depois dá certo. Pára de ser louca! O ditado mais velho do mundo e que ninguém mais sabe: quem não arrisca, não petisca.”
Então em três palavras, quais são as inspirações de vida para o Betinho neto?
“Jarina, Robson e Fernanda.”

Acompanhe também a coleção Andança na loja virtual, pela fanpage do projeto no facebook  e nos pontos de venda: Loja Disqueria (Av. Cons. Nébias, 850 lj 4) , no bar Porto Brasil (Rua XV de Novembro, 18, Santos ), no Ateliê da MrN Bolsas (Rua Goiás, 154 altos) – e em São Paulo na Casa Elefante (Rua Cesário Mota Junior, 277 Sobreloja, Vila Buarque).

Já conhece ou quer conhecer mais sobre o trabalho desta pessoa incrível? Olha só onde você pode encontrá-lo: 
Betinho Neto
QG Sanatório | Revista Sanatório Geral

(11) 94028-1021 (Nextel)
+QGSANATÓRIO
(Portfólio de projetos e designer)
+SANATÓRIO GERAL
(Revista e ações do Coletivo)
Anúncios

Autor: O Coletivo

O Coletivo é um projeto focado no pequeno empreendedor, artesão e designer. Nosso intuito é divulgar artistas autorais, fomentar o movimento handmade e promover a economia criativa na Baixada Santista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s